Não beba líquidos com as refeições


Nosso trato digestivo produz 3 litros de sucos digestivos por dia! Só de saliva, produzimos 1,5 litro por dia!

Existem muitas pessoas que ainda sim dizem não conseguir comer sem tomar um liquidozinho, afirmando que a comida "desce" muito seca.

Várias queixas digestivas podem ter origem a partir da ingestão de líquidos junto com o almoço ou jantar. Desde a boca até o intestino, o alimento sofre a ação de inúmeras enzimas. Para que haja uma boa qualidade do processo digestivo, questões como o pH do trato gastrointestinal são importantes.

Quando ingerimos líquidos (água, sucos, e bebidas carbonatadas, sendo estas últimas ainda mais nocivas) com as refeições, as enzimas são diluídas modificando o pH e fazendo com que sua atividade fique comprometida. Por exemplo, a pepsina precisa de um meio ácido estomacal para ser formada a partir do pepsinogênio, o que é somente garantido com a ótima secreção de ácido clorídrico (HCl). O mesmo, por provocar a redução do pH estomacal, favorece não somente a melhor digestão, mas otimiza a absorção de ferro, cálcio, piridoxina, zinco, entre outras vitaminas/minerais, utilizadas em diversas reações bioquímicas. A diluição, portanto do ácido clorídrico durante uma refeição com grande quantidade de líquido favorece não somente uma menor eficiência na absorção de vitaminas/minerais, mas um déficit clorido-péptico, contribuindo com uma má digestão protéica e para a ocorrência de sintomatologia digestiva muito referida como distensão abdominal, diarréia/constipação e sensação de plenitude gastrointestinal.

As pessoas que têm necessidade de ingerir líquidos com as refeições normalmente possuem uma baixa ingestão hídrica ao longo do dia e se lembram de beber, já que estão comendo, como se fosse por associação (a hora de comer é também a hora de beber!). A inclusão de líquidos também se deve, em parte a má mastigação, característica bastante comum em pessoas cada vez mais preocupadas, estressadas e com menos tempo destinado à sua alimentação.

Nosso estômago é elástico. Quando comemos, ele se estica. Mas, este "elástico" tem seu limites! Se colocarmos todo dia, além dos alimentos secos, uma grande quantidade de líquidos, o estômago vai esticar demais. Pior do que "empurrar" os alimentos com água ou suco, é tomar refrigerante que além de ser líquido promove o aumento do pH estomacal (que deveria se manter ácido para melhor atividade enzimática) e devido a imensa quantidade de gases, favorece a distensão abdominal. A conseqüência disso é que um estômago mais dilatado precisa de mais alimentos para se saciar. Num determinado momento, a sua elasticidade chega ao fim e ele não volta mais ao tamanho original. A pessoa com um volume gástrico muito grande acabam comendo maior quantidade em busca de maior saciedade e isso pode, a longo prazo contribuir para o ganho de peso.

Para quem tem este péssimo hábito de beber líquidos junto com as refeições, tem algumas dicas importantes! A primeira e talvez mais importante é a MASTIGAÇÃO! Como disse antes, produzimos muita saliva que além de ter enzimas digestivas, tem a função de umedecer os alimentos. Quem não mastiga tem a sensação de que a comida está seca mesmo, pois não deu tempo de envolver o alimento na saliva.

A segunda dica é para quem coloca a jarra de suco ou garrafa de refrigerante na mesa para que todos se sirvam à vontade! Nada disso: coloque 1 copo para cada pessoa. Tente comer toda a comida primeiro e depois tomar o líquido bem lentamente, a pequenos goles! Depois de um tempo assim, já é hora de tirar o copo da mesa, mas o ideal seria não tomar líquido nenhum de 30 minutos até 2 horas (que é o tempo de digestão) depois das refeições.


Outra dica é evitar preparações muito secas trocando carnes assadas por carnes ensopadas. Deixar o arroz mais pastoso também pode ajudar. Não exagerar no sal é fundamental, pois pratos muito salgados dão mais sede. Esse processo pode levar meses, mas é importante tentar. Com o tempo, o líquido não fará falta nenhuma! Pelo contrário, deixar de tomar líquidos com as refeições só fará bem para sua saúde!



Nutricionista Iara Cecília Pasqua



Formada de Universidade de São Paulo (USP)
Mestre em Saúde Pública pela USP
Especialista em Nutrição Clínica Funcional pelo CVPE
ipasqua@usp.br